NOTÍCIAS

22 de agosto de 2017

Mulheres juristas lançam campanha para ampliar debate sobre a reforma trabalhista


Para a Rede Feminista de Juristas (deFEMde) a luta contra a reforma trabalhista apenas começou. O movimento lançou, no último dia 16, uma campanha para enfrentar os retrocessos nas leis de proteção ao trabalhador. A reforma foi sancionada pelo presidente Michel Temer no dia 13 de julho.

 


Segundo a advogada e co-fundadora da deFEMde, Tainã Góis, é preciso fazer o contrário do que foi feito no Legislativo: um debate sério e acessível sobre o tema e seus impactos na vida da população trabalhadora. "Apesar de a reforma ter sido aprovada, a disputa só começou. A partir de agora, a briga começa de verdade. O nosso papel é fazer uma ponte entre a linguagem jurídica, que é complexa e excludente, e a sociedade civil." Tainã foi entrevistada na edição de segunda-feira (21) do Seu Jornal, da TVT.



Haverá também uma série de vídeos e materiais jurídicos para empoderamento da população e dos operadores do Direito. Além dos temas e problemas gerais, a campanha tambémn terá conteúdos que discutam a situação das mulheres no mundo do trabalho.



A Rede lançou um manifesto apontando os retrocessos contidos na reforma, entre eles, a redução da qualidade de vida. "A precarização das relações de trabalho proposta pela reforma trabalhista tem como consequência a intensa diminuição da qualidade de vida da classe trabalhadora, levando ao efeito perverso de, ao intensificar as cadeias de opressões sociais, culminar com maior pressão para a exclusão da mulher do espaço público e oaumento da violência doméstica", diz o texto.
Tainã lembra que a reforma mexeu em pontos que impactam na saúde do trabalhador, como o horário de almoço e a fiscalização do trabalho insalubre. "Houve diminuição no tempo de almoço, para descanso e alimentação, e também no trabalho insalubre. Antes, o trabalhador que faz uma jornada de 12 horas não poderia ficar sem a fiscalização do Ministério do trabalho, agora, pode haver o acordo com o empregador para que não haja essa fiscalização", explica.



A campanha está na página do Facebook da Rede. Quem quiser apoiar o movimento, deve compartilhar as hashtags #ManifestATrabalhadorA e #ManifestATrabalhador.
 
FONTE: Rede Brasil Atual 
 

Enquete

Boletim
Eletrônico

Cadastre-se e receba as
noticias do Sindicato
Rua Santa Cruz, 811 | Centro | Betim - MG | CEP 32600-028 | (31) 3539-6500 | metalurgicosdebetim@metalurgicosdebetim.org.br

Horários de funcionamento do Sindicato:
- Sede: 8h30 às 12h e das 13h às 18h.
Endereço: Rua Santa Cruz, 811, Centro - Betim.
Telefone: (31) 3539-6500.
- Subsede: 8h30 às 16h45.
Endereço: Rua Toyota, 222, bairro Jardim Piemont - Betim.
Telefone: (31) 3597-0260.

Visitas desde junho/2016: 647178
Sindicato dos Metalúrgicos de Betim e Região © 2017 All Rights Reserved.